Intervenção na Assembleia da Federação de Patinagem de Portugal

Intervenção do Presidente da Associação Nacional de Clubes de Patinagem na Assembleia da Federação de Patinagem de Portugal realizada no dia 29 de março de 2014.

Senhor Presidente a ANACP tem várias questões a colocar.
Uma questão muito simples. Qual o ponto de situação da Plurisports

Na próxima época já estará introduzido o Boletim Electrónico como tinha sido apregoado pela Federação para a época 2013/2014.

O Artigo 71º, do Regulamento Geral de Hóquei em Patins, impõe a obrigatoriedade dos clubes do campeonato nacional da 1ª divisão de seniores masculinos, enquanto equipa visitada, procederem à gravação em vídeo de todos os jogos. No mesmo artigo são enumeradas as condições a que devem obedecer essas gravações, bem assim como a indicação de que cada gravação deve ser remetida ao Comité Técnico – Desportivo, no prazo máximo de 3 dias úteis da data da realização de cada jogo. Em face desta regulamentação, parece-me importante conhecer a resposta da FPP a algumas questões, nomeadamente:
Essas gravações poderão ser disponibilizadas aos clubes que as solicitem?
Para o conhecimento e desenvolvimento da modalidade não seria útil criar, por exemplo no site da FPP, um campo onde estivessem as gravações dos jogos para poderem ser vista pelos amantes da modalidade?
Não seria razoável que estas gravações também se realizassem nos jogos da Taça de Portugal? E dos outros campeonatos nacionais seniores?

Senhor Presidente deixo para o fim duas questões mais delicadas. Em Março de 2013 aprovamos aqui em Assembleia por proposta da ANACP um Grupo de Trabalho. Na altura o senhor presidente afirmou e passo a citar “quando não se quer fazer alguma coisa, cria-se um grupo de trabalho”. Na altura fiquei com a impressão que a direcção da Federação não queria que as várias associações debatessem ao mais variados assuntos em grupos de trabalho. Mas agora, um ano após a criação do grupo de trabalho, percebo as suas palavras. Aproveitamos esta Assembleia para manifestar o nosso desagrado com o mesmo grupo de trabalho. É inadmissível que o grupo apenas tenha reunido 2 vezes em um ano. Tenho conhecimento de associações, como a do Minho por exemplo que já reuniu 2 vezes em menos de um mês para debater o mesmo assunto. Mais, a proposta da ANACP previa que o mesmo grupo de trabalho apresentasse resultados em 3 meses. Outro ponto que nos parece importante e não está salvaguardado no grupo de trabalho é a representatividade.
Entende a ANACP que não faz sentido as decisões serem por maioria das associações presentes e não pelo que cada uma representa. Por fim, quer a ANACP perceber se os resultados apurados no grupo de trabalho entrarão em vigor para a próxima época desportiva. Para que fique também em ata, a ANACP defende o modelo de playoff o mais eficaz e mediático para a modalidade, tal como em outras situações, daqui a um ano iremos estar a falar que o playoff é a melhor solução para o hóquei. Aguardemos pela discussão. Fica também a sugestão para que a próxima reunião seja no decorrer da Taça Latina.

Senhor Presidente para terminar e sabendo que não é da competência da Federação, mas para que fique registado a nossa preocupação. Senhor Presidente existem limites para tudo, cada um de nós tem o seu limite, ora de trabalho, de competência ou falta dela. A ANACP não consegue perceber como se nega a participação de uma equipa de benjamins num campeonato. Sendo esta a única equipa no distrito. Sabendo que me irá responder que esta matéria não é da competência da Federação, mas em casos como estes, em que se nega a prática desportiva de atletas e clubes em competições, deveria ser uma matéria da federação. O hóquei em patins não se pode dar ao luxo de proibir a competição a clubes sob a pena de estes começarem a desaparecer e partir para outras modalidades. Nestes casos, a Federação deveria atuar, destituir, criar multas, cortes em duodécimos, algo para que quem tem responsabilidades sinta que não pode decidir em prejuízo de quem pratica e fomenta a modalidade, os atletas e os clubes. Isto Senhor Presidente para não falar muito o Campeonato distrital de juniores em Setúbal. Para que casos como este não aconteçam no futuro em outras associações, a ANACP defende o aumento do número mínimo de clubes para apuramento do nacional de 6 para 8 com excepção às ilhas. São estas pequenas alterações que permitiram o hóquei em patins crescer e crescer com maior competitividade. O hóquei em patins é a modalidade que todos nós apreciamos e devemos promove-la e não barrar a sua prática a jovens atletas. Termino com apenas duas palavras para este triste episódio em setúbal: lamentável e incompetência.