Intervenção na Assembleia Geral da FPP

Intervenção do Presidente da Associação Nacional de Clubes de Patinagem na Assembleia da Federação de Patinagem de Portugal realizada no dia 25 de março de 2017.

RELATÓRIO E CONTAS 2016

Exmo. Senhor Presidente da Mesa da Assembleia
Exmo. Senhor Presidente da Federação de Patinagem de Portugal
Os nossos cumprimentos, extensivos a todos os membros dos órgãos sociais da Federação de Patinagem de Portugal,
Caros Delegados,

Relativamente ao Relatório de Contas é de saudar o esforço verificado pelas anteriores direções na diminuição das dividas a fornecedores e elogiar a gestão inteligente da reestruturação do património.

Temos observado as diferenças de valores nas diferentes disciplinas da Patinagem.
Percebemos que na Patinagem de Velocidade os valores de inscrição sejam mais baixos, permitindo assim que a modalidade cative mais praticantes. O mesmo já sucedeu com a Patinagem Artística, no entanto, hoje e depois de analise de algumas fontes de receita, percebemos que temos de evoluir.

O valor médio de inscrição/filiação do mesmo número de atletas na disciplina de hóquei em Patins e na disciplina Patinagem Artística é desproporcional cinco vezes!

A Associação de Clubes defende a aproximação dos valores originando receita extra para a FPP.
A separação das receitas e despesas por disciplina permitirá perceber a discrepância ainda existente.



ASSUNTOS DE INTERESSE GERAL

Senhor Presidente, aproveitamos este momento para deixar aqui algumas preocupações e questões sobre as disciplinas de Patinagem.

Em 2016, organizamos em conjunto com a Câmara Municipal de Esposende uma prova do Campeonato Nacional de Estrada em Patinagem de Velocidade. Este ano, a autarquia voltou a manifestar intenção em organizar uma nova prova. Aceitamos que a escolha tenha sido outra mas reforçamos que é importante que se organizem provas em zonas do País onde a expressão é nula ou diminuta.

Algumas notas sobre a Patinagem Artística.
De uma forma, simples e concisa, a mensagem não passa.

Arrisco-me a dizer que temos festivais e provas com Pavilhões cheios, mas 90% dessas pessoas estão presentes por afinidade familiar e não por ser aficionado.

A Patinagem Artística cresceu muito.
Com a mediatização da Disney com a série “Soy Luna”, assistimos a um crescente interesse pela Patinagem Artística. Os Festivais são inúmeros e até fonte de receita para os clubes. Mas as provas precisam de uma regulação diferente. Mais criteriosas. Não é bom, uma prova decorrer de manhã à noite. Não é atrativo para o público. Os pavilhões estão cheios de familiares que acompanham por obrigação…

Reforçamos que é importante dinamizar e mediatizar a Artística. E credibilizar. Não podem os juízes e calculadores estarem oito ou dez horas, quase consecutivas, a avaliar. E a credibilização passa também pelo seu pagamento. Os clubes deverão pagar os custos de arbitragem às respectivas Associações ou Federação e não no local e sem recibo. E é este o procedimento que conhecemos.

É importante assumir o protocolo com a RTP para a divulgação de Programas especificas sobre as competições na RTP2.

Propomos a reformulação dos cadernos de encargos de provas, incluindo a obrigatoriedade de as filmar para que possamos ter conteúdos para esses programas.

Tal como prometido na última Assembleia, a Associação de Clubes já apresentou e entregou um memorando sobre alteração aos quadros das transferências dos escalões de formação, na disciplina Hóquei em Patins, no passado mês de janeiro.

Sabemos que tem a real noção da importância de uma reforma desta natureza, e sentimos acolhimento na nossa proposta. É um assunto que entendemos não deve ser adiado pelo que, aguardamos a sua implementação. mas, aproveitamos esta assembleia para lembrar que este assunto não pode ser um tema que demore 4 anos a ser implementado, como os boletins eletrónicos.

Notas finais:
Nos últimos meses, a Associação de Clubes tem reunido com os clubes da 1ª divisão. É unanime, que a 1ª divisão, face ao aumento do seu mediatismo com a transmissão dos jogos na TVI24 deveria ter mais jogos.

Numa segunda fase, os clubes chegaram a um entendimento sobre um segundo momento de competição.

Senhor Presidente, no dia 22 de fevereiro, enviámos um documento para a FPP, dando conta que os clubes chegaram a um entendimento unanime sobre um novo modelo de competição e uma proposta de planificação anual. Até à data, também não obtivemos uma resposta e apenas pelos jornais desportivos nacionais, soubemos que a FPP iria reunir com a Associação de Clubes.

Sabemos que compete à sua direção decidir e alterar regulamentos e competições, mas estamos convictos que aceitará, um pedido unanime dos clubes para uma reformulação da competição que permita mais jogos e mais mediatismo para o Hóquei em Patins.

Uma das questões mais faladas desde o inicio da época é o tema das arbitragens.

É do entendimento da Associação de Clubes que existe a necessidade de melhorar a arbitragem a todos os níveis.
Mais formação, mais envolvimento entre as partes intervenientes, maior isenção.

Estamos disponíveis para reunir com a sua direção e com o conselho Nacional para apresentar um conjunto de propostas que temos vindo a elaborar com vista ao melhoramento da arbitragem.

Sobre as transmissões televisivas, esta assembleia desconhece o conteúdo do protocolo estabelecido com a TVI e com a Wall Street.
O mais importante e sobretudo, a falta de informação dos jogos a transmitir e a comunicação tardia aos intervenientes. É importante perceber, planificar e anunciar atempadamente os jogos que serão transmitidos na TVI24.

Não queríamos também deixar de lamentar a ausência, até à data, em comunicado da implementação dos 45 segundos cronometrados.

Pensamos que será importante no decorrer desta época que a sua direção avalie o Campeonato Nacional Sénior Feminino. Temos tido o feedback de clubes que pretendem avançar com a criação de equipa, mas esbarra com uma época de 4 meses. É importante que analise este tema para que surjam mais equipas.

Por fim, Senhor Presidente, a Associação de Clubes tem observado à margem da organização da FPP o crescimento do Campeonato Nacional de Veteranos.

Acreditamos que este é um tema do interesse de todos os intervenientes e a Associação de Clubes está disponível para promover uma reunião com todas a partes para que este mesmo campeonato passe a ter um cariz oficial.

Fica o desafio.

Termino para convidar todos os presentes para a 2ª Edição da Elite Cup que se realizará nos dias 5, 6 e 7 de outubro em Coimbra.