Intervenção na Assembleia Geral da FPP de 30 de março de 2019

Intervenção do Presidente da Associação Nacional de Clubes de Patinagem na Assembleia da Federação de Patinagem de Portugal realizada no dia 30 de março de 2019.

Apreciação Global: É normal que em qualquer estrutura associativa/federativa após uma sucessão diretiva que se exijam rápidas mudanças. Tudo terá de ser feito para ontem com a maior brevidade possível. Sabemos que o nível de exigência é sempre maior após uma mudança, é normal, faz parte do nosso adn, da nossa cultura.
Entendemos que deve existir um período de reflexão, estruturação e planeamento e no final, neste caso, em setembro, estamos cá para julgar e apreciar o que irá ser apresentado em termos de plano de atividade.
Até lá, cabe-nos a todos, Associações, propor acompanhar e melhorar o que entendemos que seja o melhor para as disciplinas da Patinagem.

Equipas B: Promoção dos Atletas Sub23. Alargamento da abrangência do intervalo horário de 15 horas entre jogos aos atletas sub 23 de forma a poderem participar em jogos das equipas A, B e sub 23; Esta é uma das alterações a ter em conta na restruturação dos Regulamentos.

Exame médico gratuito: Questionar quando é que a medida implementada pela direção da FPP a 5 de março será extensível às outras disciplinas da Patinagem.

Reuniões de Clubes: Questionar se estão previstas também reuniões com os clubes de 2ª e 3ª divisão e com os clubes que não integram os campeonatos nacionais seniores.

Reuniões de Clubes II: Questionar a coerência das medidas. Se por um lado, qualquer prova, evento, seja, Final Four, seja um Campeonato de Show e Precisão e outros, têm de obrigatoriamente passar pelas Associações de Patinagem territoriais, porque é que a direção da FPP promoveu reuniões com os clubes da 1ª Divisão e não reuniu com a Associação de Classe?

Sub20: mantendo a premissa da coerência, não podem os clubes ser penalizados por um jogo não se realizar por falta de arbitro. E não pode a direção da FPP ter uma palavra num dia e fazer uma ação diferente no dia seguinte. Os clubes não podem ser penalizados por decisões híbridas por parte da FPP.

Mini Hóquei: O projeto Mini Hóquei funciona como outros projetos federativos, nomeadamente, como o Gira vólei entre outros. O projeto é de promoção da modalidade. A FPP deve fiscalizar para que os eventos de promoção sejam realmente de promoção da modalidade. Um jogo de hóquei em patins tem de ter um guarda-redes equipado e cada atleta tem de ter stick. O jogo não começa com um guarda-redes sem máscara e um jogador sem patins. O Mini Hóquei ou tem tabelas ou então não se faz. Não podemos passar uma imagem de um desporto com divisórias mal feitas e blocos de estrada a dividir ringues.